quarta-feira, 18 de outubro de 2017

Tributo - 148

Ataulpho Alves Júnior

Morreu no domingo, 15/10/2017, o cantor e compositor Ataulpho Alves Júnior. Ele tinha 74 anos e foi vítima de infarto. Estava em seu apartamento, ao lado da esposa, no Rio de Janeiro.

Filho de Ataulpho Alves, um dos ícones da Música Popular Brasileira em seus primórdios, Júnior contabilizou mais de 40 anos de carreira tendo como sucesso maior o samba Os Meninos da Mangueira.

Gravou mais de 20 discos e colecionou prêmios no Brasil e no exterior, tendo marcado em shows em Portugal e Espanha.

Defensor da Música Popular Brasileira, o cantor, entretanto, nunca conseguiu dissociar-se da imagem do pai, que foi um mito.

Abaixo, dois vídeos: o primeiro cantando Meus Tempos de Criança, um dos clássicos que marcaram a carreira de seu pai.

O segundo trás sua interpretação para Os Meninos da Mangueira, seu sucesso maior, de 1976.




 

sexta-feira, 13 de outubro de 2017

Cadê Você - 33


Quem restou de Jeannie é um Gênio
 
Do elenco do seriado Jeannie é um Gênio (1965/1970), apenas dois atores do elenco fixo seguem vivos: Barbara Eden, a própria Jeannie, e Bill Daily, que deu vida ao atrapalhado Major Roger Healey.

Barbara e Bill encontraram-se em um evento, o Hollywood Show Chicago, em setembro deste ano de 2017, onde posaram para fotos e distribuíram autógrafos.

Aos 82 anos, Barbara está em ótima forma. Bill, por sua vez, conta 86 anos de vida e ainda esbanja bom humor. Ambos estão aposentados e aparecem em esporadicamente na televisão. Bill mora no Novo México e Barbara reside em Beverly Hills, Califórnia.

Os demais artistas do elenco fixo da série já morreram. Larry Hagman (Major Antony Nelson) morreu em novembro de 2012, vítima de câncer.

Hayden Rorke (Dr. Bellows), em 1987, aos 76 anos de idade e Emmaline Henry (Amanda Bellows) faleceu aos 50 anos em 1979. Ambos também vitimados pelo câncer; ele de pele e ela com um tumor no cérebro.

Segundo uma autobiografia de Barbara Eden, Hayden Rorke, que interpretou o Dr. Bellows, era gay e viveu durante anos com o diretor Justus Joseph Addiss. 

Clique nas fotos para ampliar.


terça-feira, 3 de outubro de 2017

Atrizes - 19

Em o Tunel do Tempo 1966
Lee Meriwether

A beleza de Lee Ann Merewether, nascida em Los Angeles em 27 de maio de 1935, a levou a ganhar o concurso de miss-EUA-1955, o que lhe abriu as portas para a fama.

No cinema foi a Mulher-Gato de Batman, em 1966. Não confundir com Julie Newmar, que foi a Mulher-Gato do seriado de TV.

Mais comportada, Lee estrelou a série O Tunel do Tempo, onde deu vida a Drª Ann McGregor e ainda participou de outros seriados como Barnaby Jones, Missão Impossível e Jornada nas Estrelas.

Lee nunca viveu a Mulher-Gato no seriado Batman, papel que foi da não menos linda Julie Newmar. Porém participou de um episódio onde o vilão foi Rei Tut, em que ela fica amarrada ao lado de Robin.

Em 1958 Lee casou-se com o ator Frank Aletter, com quem teve duas filhas. O casal divorciou-se em 1974.

Atualmente está com 82 anos e continua fazendo teatro. Ela conserva os traços que a fizeram uma das mais lindas mulheres dos Estados Unidos.


Quando foi Miss Estados Unidos 1955

Atualmente, com 82 anos, segue linda

No longa Batman, em 1966
Participação em Jornada nas estrelas
Participação no Seriado Batman na TV

Mitos - 15

Cid Moreira

Nascido em Taubaté/SP em 29 de setembro de 1927, Cid Moreira é um dos mais famosos nomes da TV brasileira.

Jornalista, locutor e apresentador, está em atividade desde 1947, onde fez de sua voz grave e soturna, sua marca registrada.

Começou na Rádio Difusora de Taubaté na função adminiostrativa de contador, mas logo foi convidado a ser locutor, devido a sua belíssima e bem impostada voz.

Foi uma das vozes mais marcantes do famoso Canal 100, no cinema e ainda é um dos locutores mais requisitados para comerciais no Brasil.
Entre 1969 e 1996 apresentou o Jornal Nacional na Globo, sendo recordista como âncora que mais tempo esteve à frente de um telejornal, sendo a maior parte do tempo dividindo a bancada com Sérgio Chapelin, outro marco no telejornalismo.

Ficou célebre também com a gravação, em 2001, dos Salmos da Bíblia Sagrada, tendo seus CDs vendido mais de 33 milhões de cópias.

Em 2014, aos 87 anos e 70 de carreira, publicou o livro Boa Noite, frase que ficou eternizada por ele no encerramento do Jornal Nacional. Trata-se de uma biografia.

Curiosidades
• Mesmo estando fora do ar há anos, Cid Moreira segue como contratado da Globo.
• Já apresentou o Jornal Nacional vestindo bermuda.
• Em 2015, como forma de homenagem, apresentou um bloco do Jornal Nacional ao lado do companheiro Sérgio Chapelin, quando dos 50 anos da emissora e 46 do telejornal.

Abaixo, a homenagem da Globo aos "eternos" apresentadores do Jornal Nacional


Cantoras - 14

MARLENE

Um dos maiores mitos da era de ouro do rádio brasileiro foi Marlene.

Nascida Victória Bonaiuti de Martino (depois de casada com o ator Luis Delfino passou a chamar-se Victória Bonaiuti Delfino dos Santos), Marlene nasceu em São Paulo em 22 de novembro de 1922 e morreu no Rio de Janeiro, em 13 de junho de 2014.

Foi atriz, mas ficou conhecida nacionalmente como cantora, tendo gravado mais de quatro mil canções em sua carreira.

Internacionalmente fez turnês pelo Uruguai, Argentina, Estados Unidos e França, teno apresentado-se por quatro meses e meio no Teatro Olympia de Paris, a convite de Edith Piaf.

Estreou profissionalmente em 1940, na Rádio Tupi de São Paulo. Mudando-se para o Rio, conheceu Carlos Machado que a contratou para ser vocalista de sua orquestra no Cassino da Urca. Passou a trabalhar na Rádio Mairink Veiga, quando sua carreira deslanchou.

Naquela época a Associação Brasileira de Rádio elegia a Rainha do Rádio. Emilinha Borba, e as irmãs Linda e Dircinha Batista revezavam-se como rainhas a cada ano. Em 1949 Marlene venceu de forma espetacular. Ademilde Fonseca ficou em segundo e Emilinha Borba, até então a maioral, teve de contentar-se com o terceiro lugar.

Assim nasceu a famosa rivalidade entre os fãs de Emilinha e Marlene, que tantas e tantas vezes provocava brigas homéricas entre fãs pelos auditórios e ruas do Rio e São Paulo.

Tal rivalidade, entretanto, era mais uma jogada de marketing, pois as cantoras chegaram a gravar e participar de programas de TV cantando juntas.

Vítima de pneumonia, Marlene foi internada no Hospital Casa de Portugal, onde morreu no dia 13 de junho de 2014, seis dias após sua internação. Ela também havia sofrido uma queda, o que a levou a ser internada.

Curiosidades
• Seu pai morreu uma semana antes de seu nascimento.
• Gravou inúmeras marchinhas de Carnaval, atuou em filmes e nas famosas Revistas de Teatro.
• Seus maiores sucessos – das mais de quatro mil músicas gravadas – foram Brigas Nunca Mais, Lata d’Água, Saudosa Maloca e Zé Marmita.
 • Atuou no cinema em 18 filmes e na televisão, esteve nas novelas Bandeira 2, O Amor é Nosso, Viver a Vida e Chiquinha Gonzaga.

Abaixo reportagem da TV Brasil sobre sua morte. Só fazendo uma correção, o vídeo diz que ela morreu aos 90 anos, mas na verdade, foi aos 91.


sábado, 30 de setembro de 2017

Seriados - 51

GUNSMOKE

Segundo seriado mais longo da televisão com 635 episódios (sendo superado apenas por Os Simpsons), Gunsmoke manteve-se no ar entre 10 de setembro de 1955 e 1 de setembro de 1975.

Era a aventura do delegado Marshal Matt Dillon (papel de James Arness) na cidade de Dodge City, em 1870. Além de defender a cidade, ele crescia sobre quem causasse problemas para a dona do saloom da cidade, Kitty Russell (papel de Amanda Blake).

O seriado tinha também Doutor Galen Adams (Milburn Stone) e o caipira Festus Hagen (Ken Curtis) como personagens de destaque.

No Brasil a série foi exibida pela Record até 1989 e no canal Retro (por assinatura) em meados dos anos 2000.


Curiosidades
• Antes de fazer sucesso na televisão, Gunsmoke foi apresentado no rádio, tendo o papel central vivido por William Conrad.

Gunsmoke também fez sucesso como história em quadrinhos, tanto em tiras diárias em jornais como também em revistas. 

quarta-feira, 20 de setembro de 2017

Seriados - 50

Ivanhoé

Produção da TV inglesa, Ivanhoé foi um seriado de 39 capítulos, produzidos entre 1958 e 1959, em preto e branco.

Trata-se das aventuras do cavaleiro Ivanhoé que, ao retornar das lutas nas Cruzadas, descobre que o Príncipe John se apoderou do trono do irmão Ricardo Coração de Leão, passando a oprimir o povo.

O cavaleiro rebela-se e luta para conseguir destronar John e devolcer o trono à Ricardo.

Ivanhoé marcou a estreia na TV de Roger Moore, que depois seria um dos grandes nomes no mundo.


No Brasil o seriado estreou em 1964, pela Excelsior 


terça-feira, 19 de setembro de 2017

Abertura de Seriados - 17

VIGILANTE RODOVIÁRIO


Vigilante Rodoviário foi o primeiro seriado genuinamente brasileiro.

Contava as aventuras do Inspetor Carlos, personagem central vivido pelo ator Carlos Miranda e seu inseparável cão Lobo.

O seriado que foi produzido em 1962 e teve 38 capítulos teve em seu elenco alguns artistas famosos como Rosamaria Murtinho, Ary Toledo e Renato Master.

Carlos Miranda ficou tão empolgado com o seriado que após o final da série ingressou de verdade na Polícia Rodoviária trabalhando até sua aposentadoria.

Produzido em preto e branco o seriado estreou na Tupi e depois foi transmitido também pela Globo.

Confira como era a abertura:

 

sexta-feira, 15 de setembro de 2017

Em 3 Tempos


Gary Conway

Um dos protagonistas da excelente série Terra de Gigantes, Gary Conway completou 81 anos em fevereiro de 2017. 


Ele deu vida ao Capitão Steve Burton, o comandante da nave e grande líder do grupo.


Além de Terra de Gigantes, participou de outros seriados e filmes, mas sem o mesmo sucesso.


Em 1973, aos 37 anos, posou para a revista Playgirl, causando alvoroço entre suas fãs, com um corpo de fisiculturista.


Em 2000 escreveu, dirigiu e atuou no filme Woman's Story, sendo essa sua última experiência até o momento como artista.


Atualmente cuida de sua vinícola, na Califórnia. É casado com Marian Conway desde 1958. 


Em 1957 com seu nome de solteira - Marian McKnight - ela foi eleita Miss América. O casal teve a filha Kathleen e o filho Gareth.



quinta-feira, 15 de junho de 2017

Atrizes - 18

Georgia Gomide

Nascida Elfriede Helene Gomide Witecy, em São Paulo, Georgia Gomide foi uma das pioneiras da televisão brasileira, tendo trabalhado nas principais emissoras do país.

Trabalhou em grandes novelas como Redenção, Éramos Seis, as Pupilas do Senhor Reitor, Direito de Nascer, Vereda Tropical e séries como Anos Rebeldes.

Pouca gente sabia, mas desde seus 18 anos, Georgia sofria com um problema de visão e tinha apenas 5% desse sentido. Isso não a impediu de construir uma carreira brilhante na TV, teatro e cinema.

Georgia causou polêmica ao protagonizar, ao lado da atriz Vida Alves, o primeiro beijo gay feminino da televisão brasileira, no teleteatro A Calúnia, em 1966.

Em 2009 foi diagnosticada com Alzheymer, e afastou-se da vida artística. Faleceu em janeiro de 2011, aos 73 anos, de infecção generalizada, tendo deixado o filho  Daniel Witecy Goldfinger.

O vídeo é cena da novela global Hipertensão, onde ela viveu a vilã Erotildes e foi assassinada. Na cena ela contracena com Miguel Falabella.



quinta-feira, 25 de maio de 2017

START WARS 40 ANOS


Por Daniel Nápoli

Há exatos 40 anos, era lançado nos EUA, o primeiro filme da saga que revolucionou a Cultura Pop: Star Wars – Episódio IV – Uma Nova Esperança.
A partir daquele filme, o mundo passou a acompanhar atentamente as aventuras do jovem Jedi Luke Skywalker, Han Solo, Princesa Leia Organa e Chewbacca, contra Darth Vader e o Império Galáctico, controlado pelo Imperador, o Lord Sith Palpatine.

De lá para cá, o criador da saga George Lucas, lançou outros dois filmes que compuseram a chamada “trilogia original” (Episódio V – O Império Contra-Ataca – 1980 e o Episódio VI – O Retorno de Jedi – 1983).

Anos mais tarde, Lucas levou às telonas a intitulada “trilogia prequela” (Episódio I – A Ameaça Fantasma – 1999, Episódio II – Ataque dos Clones e Episódio III – A Vingança dos Sith), com foco na queda do jovem Anakin Skywalker para o Lado Negro da Força e sua consequente transformação em Darth Vader.

O sucesso da saga é tanto, que foram lançados ainda diversos livros, jogos, séries animadas e HQs, fazendo da franquia uma das mais acompanhadas e rentáveis de todos os tempos.

Após a venda da marca para a Disney, Star Wars ganhou continuidade, com o lançamento do Episódio VII – O Despertar da Força (2015) e mais recentemente o Spin-Off Rogue One (2016).

Para dezembro deste ano, está marcado o lançamento do Episódio VIII – Os Últimos Jedi, com um Spin-Off de Han Solo marcado para estrear no ano que vem e o Episódio IX, encerrando a nova trilogia, com previsão de novos filmes para os próximos anos.


A saga completa 40 anos e continua jovem, unindo fãs de diferentes gerações, seja por sua temática de bem x mal (lado da luz x lado negro da força), por seus efeitos especiais e mística, seja pela continuidade, sem perder a essência e suspeita, contando de maneira ímpar a trajetória da Família Skywalker e cia.

quinta-feira, 29 de dezembro de 2016

Tributo 148

MORRE DEBBIE REYNOLDS

Por Daniel Nápoli

Faleceu na noite de ontem (28), aos 84 anos de idade,  em Los Angeles (EUA) a atriz norte-americana Debbie Reynolds. Vitimada por um Acidente Vascular Cerebral (AVC), a protagonista do clássico “Cantando na Chuva (1952), morreu um dia depois de sua filha, a também atriz Carrie Fisher, eternizada como a Princesa/General Leia Organa da saga Star Wars.

Nascida em El Paso, no dia 1 de abril de 1932, Mary Frances Reynolds, conhecida artisticamente como Debbie Reynolds, iniciou sua trajetória no cinema no ano de 1948, em “June Bride”, vivendo seu auge , quatro anos depois com “Cantando na Chuva”, quando foi uma das personagens protagonistas, contracenando com Gene Kelly.Atuou em mais de 60 filmes, sendo seu último trabalho “Behind the Candelabra” (2013).

Debbie viveu três casamentos. O primeiro com o cantor Eddie Fisher (1955-1959), com quem teve os filhos Carrie e Todd Fisher. Já o segundo matrimônio foi o mais duradouro, com Harry Karl (1960-1973) e por último, a união com Richard Hamlett (1984-1996).

De acordo com comunicado de Todd Fisher, a morte de sua irmã Carrie foi demais para sua mãe, que teria dito em suas últimas palavras, que estava indo se encontrar com a filha.

Além do filho Todd, Debbie deixa também a neta Bille Lourd, terceira geração de atrizes da família, que chegou a participar do sétimo filme da franquia Star Wars “Despertar da Força” (2015) , tendo integrado as filmagens do Episódio VIII, com lançamento programado para 15 de dezembro de 2017.


terça-feira, 27 de dezembro de 2016

Tributo 147

MORRE A ATRIZ CARRIE FISHER


Por Daniel Nápoli


A atriz Carrie Fisher, intérprete da Princesa/General Leia Organa, na saga Star Wars, morreu na manhã desta terça-feira (27), aos 60 anos de idade , no UCLA Medical Center, em Los Angeles (EUA), onde havia dado entrada na última sexta-feira (23), após sofrer um ataque cardíaco durante um voo. O avião estava vindo de Londres, local em que realizava a divulgação de sua recém-lançada biografia “Memórias da Princesa: os Diários de Carrie Fisher”.

Na obra, Carrie,a filha do cantor Eddie Ficher e da atriz Debbie Reynolds, famosa por sua participação no clássico “Cantando na Chuva” (1952), onde contracenou com Gene Kelly, comenta sobre os bastidores de Star Wars, bem como seus relacionamentos.

Fisher, que durante muitos anos lutou contra o vício de álcool e droga entre os anos de 1980 e 1990, viveu seu grande momento como atriz na saga Star Wars, participando de “Uma Nova Esperança” (1977), “O Império Contra-Ataca” (1980), “O Retorno de Jedi” (1983), “O Despertar da Força (2015)” e uma rápida participação em “Rogue One”, neste ano.


A “Eterna Princesa Leia”, gravou ainda o Episódio VIII de Star Wars, sem título definido, que está programado para ser lançado em 15 de dezembro de 2017. Será a oportunidade de conferir um material inédito e matar um pouco da saudade da “Realeza de Alderaan”.

Carrie deixa uma filha, a também atriz Billie Lourd, com quem contracenou em “O Despertar da Força”, devendo  repetir o feito no Episódio VIII.

Que a Força esteja com você, Carrie!

terça-feira, 18 de outubro de 2016

VÍDEO: SERIADO O FUGITIVO

No início dos anos 1960, O Fugitivo foi um seriado que teve 120 episódios em quatro temporadas, três em branco e preto e só a ultima em cores.

O Ampulheta Virtual trás detalhes e curiosidades sobre esse trabalho que fez sucesso também no Brasil.


sexta-feira, 14 de outubro de 2016

TRIBUTO - 146



Morre Orival Pessini

O ator e humorista Orival Pessini morreu na madrugada desta sexta-feira, 14 de outubro, em São Paulo. O ator vinha lutando contra um câncer e tinha 72 anos.

Pessini deixou algumas personagens marcantes, principalmente entre crianças (Fofão) e jovens (Patropi), mas teve outros, muitos outros.

Nascido em Marília, o humorista era pai da cantora Simoni.