quinta-feira, 19 de junho de 2008

Craque do Esporte 3



Leônidas da Silva

Nasceu no Rio de Janeiro, 6 de setembro de 1913 e faleceu em Cotia, São Paulo, 24 de janeiro de 2004, aos 90 anos.

Um dos mais importantes jogadores do futebol mundial na primeira metade do século 20, imortalizou uma jogada - a bicicleta (foto ao lado) - e foi tão famoso que ganhou o apelido de Diamante Negro e tem até um chocolate com esse nome que é muito vendido até hoje.

Filho de Manoel Nunes da Silva e "dona" Maria, era torcedor do Fluminense em sua infância. Começou a carreira profissional no São Cristóvão em 1930, tendo chegado à seleção brasileira em 1932, com apenas 19 anos, fazendo dois gols em seu jogo de estréia.

Em 1934 disputou a II Copa do Mundo, na Itália. Foi a pior participação do Brasil em uma Copa, sendo derrotada já na estréia e eliminada. O único gol do Brasil, porém, foi marcado por Leônidas.

Já na Copa de 1938, Leônidas foi o artilheiro com oito gols e foi o primeiro jogador a marcar quatro gols em uma só partida pela Copa, na vitória sobre a Polônia. Foi posteriormente eleito o melhor jogador da Copa de 38.

Em clubes, jogou pelo São Cristóvão, Sírio-Libanês, Bonsucesso, Penharol do Uruguai, Vasco da Gama, Botafogo e Flamengo (foto à esquerda). Em 1942 transferiu-se para o São Paulo FC, onde tornou-se grande ídolo e um dos maiores jogadores da história do clube.

Depois de deixar o futebol, em 1951, Leônidas tornou-se diretor do São Paulo e depois passou a ser comentarista esportivo da Rádio Jovem Pan, onde ficou até 1974, quando foi obrigado a parar por problemas de saúde.

Acometido pelo Mal de Alzheimer, passou os últimos 30 anos de sua vida internado numa casa de repouso para idosos (com despesas pagas pelo São Paulo), sempre recebendo a visita quase diária de sua esposa, que jamais o abandonou.

Leônidas viveu seus últimos anos completamente sem memória. Morreu sem ter noção da sua importância para o futebol brasileiro e mundial.

O vídeo, embora devendo em qualidade, é uma bela homenagem ao Diamante Negro. Vale pela lembrança.



Curiosidades
<> A fábrica de chocolates Lacta, para homenagear Leônidas, criou o chocolate Diamante Negro, no final dos anos 50.
<> Consta que o craque recebeu 2 contos de réis (um bom dinheiro para a época), mas nunca mais recebeu nada e jamais cobrou a empresa.
<> O Diamante Negro é sucesso até hoje e além do chocolate, também virou sorvete e Ovo de Páscoa.
<> Além de Diamante Negro, também era conhecido como Homem-Borracha.
<> Foi um dos primeiros jogadores negros a jogar pelo então "elitista" Flamengo, onde tornou-se ídolo.
<> Poderia ter sido a sensação das Copas de 1942 e 1946 pois estava no auge de sua forma, mas essas copas não aconteceram devido a II Guerra Mundial.

2 comentários:

Wilton disse...

Alo Moura, muito bom lembrar do Leônidas!! Segundo meu pai, que o viu jogar, o melhor de todos!!

Ampulheta Virtual disse...

É verdade, Wilton, e vale ressaltar a forma como agiu o São Paulo FC que jamais o desamparou até o momento de sua morte.