terça-feira, 20 de novembro de 2007

Seriados 9



A Feiticeira

Uma das séries mais famosas dos anos 60/70 (produzida entre 1964/1972) no mundo inteiro.

A fórmula, basicamente, é muito simples. O dia-a-dia de uma família americana de classe média. O diferencial é que a dona-de-casa é, simplesmente, uma feiticeira, uma bruxa.

Samantha é uma feiticeira que encanta-se por James, um mortal, e faz, para o desespero de sua família imortal - principalmente a mãe Endora - a opção por viver como uma pessoa normal da classe média norte-americana.

Endora encarna como ninguém o papel - e a fama - de uma verdadeira sogra, infernizando o genro e todos os mortais ao redor.

A série conta com Samantha (Elizabeth Montgomery), seu marido James Stephen (Dick York, depois Dick Sargent), Endora (Agnes Moorehead), Maurice (Maurice Evan, pai de Samantha e marido divorciado de Endora), Serena (a prima de Samantha, que também é vivida por Elizabeth), Larry Tate (David White, patrão de James), Tia Clara (Marion Lorne), Abner Kravitz (George Tobias), Gladis Kravitz (Alice Pearce a feia vizinha bisbilhoteira, depois vivida por Sandra Gould, mais feia ainda), Tio Arthur (Paul Lynde, tio de Samantha), Dr. Bombay (Bernard Fox, médico feiticeiro da família), Frank Stephens (Robert Simon, depois Roy Roberts, pai de James), Phyllis Stephens (Mabel Albertson, mãe de James), Louise Tate (Irene Vernon, depois Kasey Rogers, esposa de Larry Tate), Esmeralda (Alice Ghostley, empregada feiticeira), Tabatha (as gêmeas Erin Murphy e Diane Murphy, filha de Samantha) e Adam (os gêmeos David Lawrence e Greg Lawrence, filho de Samantha).

A série foi produzida entre 1964/1972 e no Brasil foi exibida pela TV Paulista (hoje Globo), Excelsior, Record, Bandeirantes, Rede TV e , Rede 21.

O vídeo abaixo é uma preciosidade. Além de falar sobre o seriado, vai além: é uma biografia de Elizabeth. Escolhemos o vídeo como uma homenagem a todos que encantaram-se pela bruxinha e mais; pela grande atriz. Vale conferir para relembrar, ou mesmo para conhecer.






Curiosidades

<> As duas primeiras temporadas foram filmadas em preto-e-branco e colorizadas posteriormente. As demais foram coloridas.

<> Dick York foi obrigado a afastar-se do seriado por problemas de saúde. Padecia de fortes dores na coluna, após um acidente que havia sofrido em 1959.

<> Dick Sargent era declaradamente homossexual e assim que assumiu o papel de marido de Samantha, houve um esfriamento na relação do casal, embora os fãs não tivessem percebido na época. Outro homossexual assumido era Paul Lynde, o Tio Arthur.

<> A escolha de Endora foi interessante. O nome de Agnes Moorehead foi de imediato pensado para o papel, mas os produtores achavam que ela não aceitaria. Um dia, Elizabeth Montgomery estava fazendo compras num supermercado quando encontrou a amiga Agnes e assim que a viu, Elizabeth comentou que ela seria perfeita para viver Endora. O convite foi aceito no ato.

<> Elizabeth Montgomery, na vida real, era casada com o produtor William Asher. Era o terceiro, dos quatro casamentos da atriz que teve, com ele, três filhos.

<> Os principais nomes de A Feiticeira já faleceram: Elizabeth Montgomery (1995), Dick York (1992), Dick Sargent (1994), Agnes Moorehead (1974) e David White (1991). Alice Pearce morreu de câncer, mas não conseguimos apurar o ano. Marion Lorne também morreu durante a produção do seriado.

<> A princípio os produtores pensaram em Dick Sargent para ser James. Ele, porém, estava envolvido com outros trabalhos e não pôde aceitar. Daí fecharam com Dick York. Sargent atuaria anos mais tarde substituindo York.

<> A aceitação da série foi imediata. Com poucos meses no ar já era a segunda em audiência, perdendo apenas para Bonanza.

2 comentários:

Anônimo disse...

bom dia

fiquei triste ao ler a morte dos personagens, engraçado, né, não os conheço?
porém eles estão no meu imaginário e me marcaram na infância...
parabéns pelo blog

Ampulheta Virtual disse...

Verdade, amigo. Tem seriados que marcaram tanto nossa infância que sentimos os personagens como nossos amigos, até como nossos familiares as vezes.
Então acabamos sentindo muito suas mortes.
Obrigado pelo comentário e continue prestigiando, sugerindo, comentando.
Seja Feliz !!!
Moura Nápoli