terça-feira, 23 de outubro de 2007

Curiosidades - Festivais 1

Quebrando o violão
<> Principalmente nos anos 60, o público acompanhava os Festivais como as torcidas acompanhavam seus times.
<><> No III Festival da Música Popular Brasileira da Record de 1967, Sérgio Ricardo simplesmente não conseguiu defender, na final, a música "Beto Bom de Bola". Ele bem que tentou, mas as vaias eram mais altas que o som dos instrumentos. No meio da música ele parou, levantou-se do banquinho onde estava sentado tocando seu violão e gritou: "Vocês ganharam" e simplesmente quebrou o violão em pleno palco, lançando-o no meio do público.
<><><> Como era tudo ao vivo, o apresentador Blota Júnior, quase enfartado, entrou no palco em desabalada carreira, tirando o cantor enquanto as vaias só faziam aumentar. Ao final não se soube se o Beto era bom de bola, mas Sérgio era ótimo de arremeço

Que dignidade!
<> Dublê de atriz e cantora, Lucinha Lins defendeu a música "Purpurina" que venceu o Festival MPB-Shell 81 da Globo.
<><> Indiganado, o público que lotava o Maracananzinho proporcionou uma das maiores vaias que se tem notícia.
<><><> Tendo ao lado o então marido Ivan Lins, Lucinha cantou a música até o fim, de cabeça erguida, mostrando uma dignidade - pelo menos isso - digna dos maiores aplausos.

Choque
<> O mesmo festival teve outra atriz que aventurou-se a cantar.
<><> Beth Goulart defendeu a música "Balão" , entre aplausos (poucos) e vaias (muitas).
<><><> Terminada a interpretação, Beth fincou o pé no palco em estado de choque. Teve de ser retirada por funcionários da produção.

Proibido?
<> Um dos casos clássicos de confronto entre público e artista ficou por conta de Caetano Veloso no III FIC (Festival Internacional da Canção) de 1968 na Globo.
<><> Defendendo ao lado de Os Mutantes a música "É Proibido Proibir" o público dividia-se entre aplausos e vaias, mas os descontentes não limitaram-se a vaiar e viraram-se de costas para o palco.
<><><> Indignado, Caetano que era um dos artistas que de alguma fora protestava contra o regime militar da época, parou a apresentação proferindo um discurso entre gritos esganiçados, que tornou-se célebre: "Mas é essa a juventude que diz que quer tomar o poder? (...) Vocês estão por fora, vocês não estão entendendo nada (...) E por falar nisso, Viva Cacilda Beker, viva Cacilda Beker (...) O júri é muito simpático, mas é incompetente. Deus está solto!"

Abaixo o que é nosso?
<> Na final do IV FIC da Globo, em 1969, o público estava fascinado pela música "Love Is All", que havia vencido a etapa internacional, defendida pelo inglês Malconm Roberts.
<><> A música vencedora debaixo de ensurdecedoras vaias, entretanto, foi "Cantiga Por Luciana" na suave - e sumida - voz de Evinha.
<><><> "Love Is All" ficou na terceira colocação.

3 comentários:

Eloisa disse...

Quanto mais vejo seu blog, mais eu gosto. Parabéns mais uma vez!
Adorei ver as curiosidades, entre elas estas dos festivais.
Recordo-me do festival em que participou Taiguara, com a música "Para não dizer que não falei das flores". Lindíssima e censurada, culminando no exílio do autor!
Se ainda não existe em seu blog algo a respeito, acredito que Taiguara mereceria uma homenagem!

Ampulheta Virtual disse...

Eloisa, estou vendo que você realmente está curtindo muito o blog, o que me deixa muito feliz. Cadastre-se como seguidora e você terá sempre as atualizações.
Quanto ao Taiguara, vou pesquisar.
Mas, para sua informação, Para não dizer que falei de flores não é do Taiguara, mas sim de Geraldo Vandré.
Obrigado, abraço e ajude a divulgar o blog. Estou com 51 mil acessos e quero ter muito, muito mais...

Eloisa disse...

Verdade meu amigo (posso chamá-lo assim?), confusão minha, desculpe-me. Realmente essa música é de Geraldo Vandré. É que gosto muito de ambos e daí a confusão.
Do Taiguara a música que mais curto é "Universo no Teu Corpo".

Ah! Em tempo: verdadeiro, estou curtindo demais seu blog, todo dia vejo um bom tanto e vou sim fazer meu cadastro. Obrigada. Sem contar que estou divulgando-o para meus conhecidos.